9 associações siderúrgicas manifestam as suas posições na discussão do G-20

9 de setembro de 2016

Nove associações siderúrgicas da América do Norte, América Latina e Europa expressaram hoje um optimismo cauteloso quanto aos resultados alcançados na reunião dos líderes do G-20, que concluiu nesta segunda-feira em Hangzhou, China. 

“Estamos gratos que os líderes dos governos do G20 reconheçam o impacto mundial sério que está causando a sobre capacidade de aço nos setores siderúrgicos em todo o mundo. Este é um primeiro passo importante, mas deve ser seguido por ações políticas concretas por parte dos governos, a fim de reduzir o excesso de capacidade, acabar com os subsídios e com as medidas governamentais que distorcem os mercados e, pelo contrário, assegurem um campo de jogo com igualdade de condições no curto prazo que seja impulsionado pelas forças de mercado. Agradecemos o compromisso assumido na declaração de “respostas coletivas” dos líderes do G-20 para tratar o excesso de capacidade na indústria do aço. O excesso de capacidade e as políticas governamentais intervencionistas que as incentivaram, é a principal causa do aumento nas importações de aço que hoje estão experimentando à maior parte de nossos mercados”, disseram as associações industriais. 
  
 “Sentimo-nos encorajados pelo fato que os líderes do G20 se comprometeram a formar o Fórum Global sobre o Excesso de Capacidade, e que os líderes são a favor de manter uma relação com o Fórum Global, durante as próximas reuniões ministeriais do G20. Esperamos que a criação de um Fórum Global abrangente que incluia a participação de todas as maiores economias siderúrgicas seja o resultado substancial a ser alcançado nas reuniões do Comité do Aço da OCDE nesta semana em Paris”, sublinharam as associações. 
  
 “Nossa indústria está numa encruzilhada. Se os governos não tomarem as medidas necessárias, vamos continuar em crise. Agora é responsabilidade dos governos e da indústria trabalhar em parceria para criar o Fórum Global e definir uma agenda e um processo que promova e impulsione açoes políticas substantivas para resolver esta crise. O Fórum Global tem que começar a trabalhar o mais rapidamente possível, assim como o Comunicado dos Líderes do G-20 deve afirmar claramente que o relatório de progresso tem de estar pronto para o próximo importante Conselho de Ministros do G- 20 do ano 2017”, concluiram as associações industriais. 
  
 Perfil — Asociación Latinoamericana del Acero(Alacero) — É uma entidade civil sem fins lucrativos que reúne a cadeia de valor do aço da América Latina para fomentar os valores de integração regional, inovação tecnológica, excelência em recursos humanos, responsabilidade empresarial e sustentabilidade sócioambiental. Fundada em 1959, é formada por 49 empresas de 22 países, cuja produção é de aproximadamente 70 milhões anuais- representando 95% do aço fabricado na América Latina. Alacero é reconhecida como Organismo Consultor Especial para as Nações Unidas e como Organismo Internacional Não Governamental por parte do Governo da República do Chile, país sede da Direção Geral. |www.alacero.org. 

Fonte: Fator Brasil
Seção: Siderurgia
Publicação: 08/09/2016

Compartilhe nas redes sociais