Alto Forno 2 volta a produzir e CSN anuncia contratações

19 de outubro de 2016

Paralisado há cerca de dez meses, o Alto Forno 2 da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) voltou à atividade. O equipamento tem capacidade de produção diária de 4,2 mil toneladas de ferro gusa, porém a sua produção será ajustada gradativamente, de acordo com a demanda do mercado.Quando o AL-2 paralisou, 700 funcionários foram demitidos. Agora, com o retorno 450 empregos serão gerados.

Durante o período que ficou parado, o Alto-Forno 2 passou por uma reforma geral que durou cerca de 90 dias e gerou cerca de mil empregos diretos durante a obra. A última reforma geral do equipamento havia sido feita em 2009. O Alto-Forno 2 é responsável por aproximadamente 30% da capacidade de produção de ferro gusa da siderúrgica. O outro alto-forno, o de número 3, tem capacidade nominal de produção diária de 9,2 mil toneladas de ferro-gusa.

Segundo o diretor de Produção da CSN, Márcio Lins, a empresa já contratou 250 novos trabalhadores em toda Usina Presidente Vargas, devido à entrada em operação do forno e a previsão é que até dezembro esse número chegue a 450. “A decisão de religar o Alto-Forno 2 retrata ousadia da CSN, que foi umas últimas empresas do setor a reduzir a sua produção e agora é a primeira fazer uma retomada. Sabemos que os desafios ainda são enormes, mas a Companhia acredita principalmente no talento e na qualidade técnica da sua equipe para vencer essa crise”, afirmou

História

O Alto-Forno 2 foi inaugurado em 1954 pela CSN e é um dos mais antigos fornos em operação no Brasil. Durante sua história já passou por diversos processos de modernização – o Alto-Forno 1 da CSN, inaugurado em 1946, deixou de funcionar em 1992. O Alto-Forno 3 da CSN está em operação desde 1976, também tendo passado por várias reformas.

Fonte: A Voz da Cidade
Seção: Siderurgia
Publicação: 19/10/2016

Compartilhe nas redes sociais