América Latina: Importação de aço laminado crescem 20% em jan/mar 2015

2 de junho de 2015

Enquanto a produção apenas aumenta 2%, aponta Alacero. A produção de aço bruto diminui 2%, produção de laminados aumenta 2%, consumo de laminados cresce 5%, importações de laminados aumentam 20%. Exportações de laminados aumentam 3%.

 Santiago, Chile—No primeiro trimestre de 2015, a produção de aço bruto na América Latina diminuiu 2%, enquanto que a dos laminados aumentou 2% versus Jan/Mar 2015. O consumo aparente de aço aumentou 5%, sendo cada vez mais abastecido por importações, que hoje respondem pelos 34% do consumo na América Latina. A balança comercial da região continua a deteriorar-se: no primeiro trimestre de 2015, o déficit em toneladas aprofundou-se 30% vs mesmo período de 2014.
 
 Produção.: Aço bruto Em Jan/Mar 2015 —América Latina e o Caribe produziram 16 milhões de toneladas de aço bruto, 2% menos do que o volume do primeiro trimestre de 2014. Brasil foi responsável pelo 53% da produção regional (8,4 milhões de toneladas), mostrando um crescimento de 1% no ano.
 
 Aço laminado —No mesmo período, América Latina produziu 14,1 milhões de toneladas de laminados, 2% a mais que em Jan/Mar 2014. O Brasil foi o maior produtor (6,6 milhões de toneladas), 46% do total da América Latina. México foi segundo (4,3 milhões de toneladas), com 31%.
 
 Com taxas de crescimento de 11% e 7%, respectivamente, Venezuela e Equador foram os países que apresentaram maior aumento na produção de laminados contra Jan/Mar 2014. Enquanto isso, a produção da Argentina caiu 8%.
 
 Consumo de aço laminado —De acordo com o comunicado do Alacero, durante os três primeiros meses do ano, consumo de aço laminado na América Latina chegou até os 17,8 milhões de toneladas, crescendo 5%. Os maiores aumentos no consumo, tanto em termos de volume e de percentagem, foram registradas no México (649 mil toneladas adicionais e um aumento de 12%), Peru (+163 mil toneladas, 24%) e na Colômbia (+164 mil toneladas, 17%).
 
 Por outro lado, no Brasil o consumo de aço laminado se retraiu em 169 mil toneladas, uma queda de 3% versus Jan/Mar 2015. Argentina também apresentou uma queda significativa de 13% no seu consumo de laminados, 166 mil toneladas a menos do que no primeiro trimestre 2014.
 
 Balança comercial.: Importações —No primeiro trimestre de 2015, América Latina importou 6,1 milhões de toneladas de aço, 20% superior ao nível registrado em Jan/Mar 2014 (5,1 milhões).
 
 Atualmente, as importações de laminados já representam 34% do consumo na região, trazendo desincentivos à indústria local, aumentando os atritos comerciais e colocando em risco as fontes de trabalho qualificado.
 
 Exportações —As exportações de aço laminado da América Latina atingiram dois milhões de toneladas, um aumento de 3% vs Jan/Mar de 2014.
 
 Balança deficitária —Nos primeiros três meses de 2015, a região registrou um déficit comercial de 4,1 milhões de toneladas de aço laminado. Este desequilíbrio é 30% maior do que a observada no primeiro trimestre 2014 (défice de 3,2 milhões de toneladas).
 
 Brasil foi o único país da região que apresentou um superávit no seu comércio de aço laminado (67 mil toneladas). O maior déficit está no México (-1,7 milhões de toneladas). Em seguida foi Colômbia (-643 mil toneladas), Peru (-499 mil toneladas) e Chile (-422 mil toneladas). A evolução dos fluxos do comércio e o saldo são apresentados.
 
 Produção abril 2015: informação adiantada— Informação adiantada de abril 2015 indica que a produção de aço bruto alcançou 5,5 milhões de toneladas nesse mês, o mesmo nível que em abril de 2014. A produção de laminados fechou em 4,8 milhões de toneladas, sem registrar crescimento.
 
 Nos primeiros quatro meses de 2015, a produção de aço bruto atingiu 21,4 milhões de toneladas, 1% a menos que no mesmo período de 2014, enquanto a produção de laminados atingiu 18,9 milhões de toneladas, um aumento de 2% a mais que em jan/abr 2014.

Fonte: Fator Brasil
Seção: Siderurgia
Publicação: 02/06/2015

Compartilhe nas redes sociais