Brasil pode remover impostos de importação se usinas elevarem preços

19 de setembro de 2012

O ministro da fazenda, Guido Mantega, disse que se as produtoras domésticas elevarem os preços acima dos níveis internacionais, “os impostos de importação sobre alguns produtos de aço (recentemente elevados para 25% de 12%) serão removidos”. Os produtos de aço afetados – incluindo bobinas a quente e a frio, chapa grossa, fio-máquina, barra, trilho e tubo soldado e sem costura – registrarão aumentos nos impostos em 25 de setembro e permanecerão elevados por um período máximo de 12 meses. Uma nova lista com mais 100 produtos, incluindo aços, pode ser anunciada em outubro. Os impostos de importação têm entrado e saído nos últimos 10 anos da indústria brasileira. O governo removeu os impostos de importação para aços em 2005 sob pressão da indústria automotiva, e depois os reintroduziu em 2009. As usinas domésticas, principalmente as produtoras de planos, têm tentado elevar os preços em 3 a 7% desde junho, mas estão enfrentando certa resistência dos clientes que não veem espaço para preços mais altos. “Agora não vamos aceitar aumentos até o próximo ano”, disse um distribuidor, observando que qualquer movimentação de alta tornaria os preços domésticos mais altos do que os internacionais. O governo brasileiro estudou a evolução das importações e o grau de penetração no mercado antes de escolher os produtos selecionados. Também levou em consideração se a indústria doméstica tem capacidade para atender à demanda, de acordo com uma declaração do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. “Queremos proteger a indústria doméstica”, disse o ministro.

Fonte: Platts
Seção: Siderurgia
Publicação: 19/09/2012

Compartilhe nas redes sociais