Fundo do poço? Minério de ferro cai pela primeira vez para menos de US$ 40

1 de dezembro de 2015

Os futuros mais ativos do minério do ferro em Cingapura afundaram para menos de US$ 40 por tonelada pela primeira vez devido à preocupação de que a desaceleração econômica na China reduza a demanda em um momento em que a oferta das maiores companhias mineradoras está aumentando.

O contrato SGX AsiaClear para janeiro caiu 2,7 por cento, para US$ 39,67 por tonelada às 16h34 em Cingapura e avança para o valor de encerramento mais baixo desde o começo do trading, em abril de 2013. Na Dalian Commodity Exchange, os futuros a ser entregues em maio afundaram 3 por cento e fecharam a 293,5 yuan (US$ 45,88) por tonelada, um valor mínimo recorde.

A matéria-prima tem sido atacada desde o começo de 2014, pois a oferta em rápido crescimento de produtores de baixo custo, como as australianas BHP Billiton Ltd. e Rio Tinto Group e a brasileira Vale SA, se combina com a demanda cambaleante na China e provoca um excedente. As perdas em Cingapura e Dalian poderiam pressagiar uma queda no preço de referência do minério à vista em Qingdao, que será atualizado ainda hoje. O último sinal da nova oferta veio da Austrália, onde um navio estava esperando nesta segunda-feira em alto-mar para carregar o primeiro carregamento da mina Roy Hill, de Gina Rinehart.

“É provável que os preços continuem ‘tomando um soco na cara’, tendendo para a casa dos US$ 30”, disse Gordon Johnson, analista da Axiom Capital Management Inc. em Nova York, em uma nota recebida nesta segunda-feira. Ele mencionou a menor demanda da China e a oferta cada vez maior, o que inclui o provável começo da produção de Roy Hill.

Produção de aço

As maiores companhias mineradoras estão apostando que uma produção mais alta lhes permitirá cortar os custos por unidade e defender a participação no mercado enquanto rivais de menor tamanho fecham. As usinas na China, que estão enfrentando um excesso de capacidade e margens deprimidas, reduzirão a produção de aço em quase 3 por cento no ano que vem, segundo a China Iron Steel Association.

O minério com 62 por cento de conteúdo enviado para Qingdao subiu 1,2 por cento, para US$ 44,50 por tonelada seca na sexta-feira, segundo a Metal Bulletin Ltd. O preço chegou ao mínimo de US$ 43,89 no dia 24 de novembro, um recorde nos dados diários sobre preços de maio de 2009 para cá.

A operação de US$ 10 bilhões de Rinehart, que visa a ter uma produção anual de 55 milhões de toneladas, não cumpriu um prazo inicial para iniciar as remessas neste ano. O navio do tipo Capesize Anangel Explorer, ancorado em alto-mar, será carregado com o primeiro carregamento vindo da mina, confirmou por e-mail a Roy Hill Holdings Pty.

Aumento dos estoques

Embora o Citigroup tenha projetado que a nova oferta vinda da mina contribuirá para uma depressão maior, a produtora disse que quase 90 por cento de sua oferta está sob contratos de longo prazo e não pressionará os preços. O Australia New Zealand Banking Group Ltd. disse que o ritmo em que o projeto entrar em operação determinará o impacto.

Os estoques nos portos da China se expandiram em seis das últimas sete semanas e atingiram o nível mais alto desde maio. Os estoques cresceram 1,8 por cento, para 87,65 milhões de toneladas na semana passada, segundo a Shanghai Steelhome Information Technology Co.

As ações das companhias mineradoras caíram em Sydney. A BHP, que também está enfrentando os efeitos do colapso da barragem de uma mina no Brasil, baixou 3,6 por cento, para 18,09 dólares australianos, o valor de encerramento mais baixo desde 2005. A Rio Tinto perdeu 0,7 por cento e recuou pelo sétimo dia consecutivo, e a Fortescue Metals Group Ltd. caiu 4,9 por cento. As três são as maiores embarcadoras da Austrália. (Bloomberg)

Fonte: Infomoney
Seção: Mineração
Publicação: 01/12/2015

Compartilhe nas redes sociais