Máquinas agrícolas: alta obriga a novas projeções

7 de junho de 2013

Em maio, a venda de máquinas agrícolas somou 7.477 unidades, alta de 1,6% ante abril deste ano e de 32,7% em relação a maio de 2012. No acumulado do ano, as 33.768 unidades vendidas resultam em crescimento de 30,3% em relação a igual período de 2012 e já obrigam a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) a rever suas projeções: “Prevíamos 5% de alta para este ano, mas os agricultores estão capitalizados. O problema é que eles já sofrem com problemas de infraestrutura, como seus caminhões parados em filas, levando 20 dias para descarregar. Isso tem um custo alto”, afirma o vice-presidente da Anfavea e diretor de relações institucionais da Case New Holland (CNH).

O executivo afirma que essas dificuldades podem impedir a decisão de futuras compras de equipamentos agrícolas e por isso é preciso fazer alguns estudos para chegar a uma nova estimativa. De qualquer forma, as taxas de juros mais atraentes desde o segundo semestre do ano passado mantêm impacto positivo no segmento.

A venda de colheitadeiras no acumulado de janeiro a maio é de 3.425 unidades, uma alta expressiva de 65,1% em relação ao mesmo período de 2012. Algumas dessas máquinas são compradas para substituir o equipamento antigo. “Mas tem agricultores trocando suas colheitadeiras por outras maiores”, diz Rego. Segundo ele, esse movimento também puxa a compra de outros equipamentos mais potentes e maiores, como novos tratores e plantadeiras. juntos, eles são capazes de antecipar a safra de inverno e, consequentemente, a de verão.

A produção de máquinas agrícolas soma 40.045 unidades no acumulado do ano, revelando alta mais discreta sobre igual período do ano passado (13,1%) se comparada à elevação das vendas desse setor.

A exportação de máquinas agrícolas em maio somou 1.298 unidades, com queda de 16,8% em relação a abril e alta de 10,2% ante maio de 2012. No acumulado do ano, com 5.810 unidades, a retração é de 21,3%, explicada basicamente pelo encolhimento das compras do país vizinho: “A Argentina está produzindo ela mesma e também crescendo menos”, diz Rego.

Fonte: Automotive Business
Seção: Máquinas & Equipamentos
Publicação: 07/06/2013

Compartilhe nas redes sociais