Minério de ferro cairá para US$ 30 a tonelada, segundo analista

10 de julho de 2015

A queda do minério de ferro ainda não acabou e a matéria-prima prolongará seus declínios para a casa dos US$ 30 por tonelada neste ano, segundo Andy Xie, um economista independente que previu um colapso dos preços em fevereiro.

A demanda por aço na China está se contraindo, ao passo que a oferta de minério de ferro continua aumentando, disse Xie, ex-economista-chefe do Morgan Stanley para a região ásia-Pacífico, em entrevista de Hong Kong na quarta-feira, depois que os preços de referência tiveram uma queda recorde de 10 por cento. O minério de ferro se recuperou 9,9 por cento nesta quinta-feira. A depressão nos mercados acionários da China, que mostrou que uma bolha especulativa estava estourando, acelerou as quedas, segundo Xie.

O minério de ferro afundou durante dez dias, até a quarta-feira, para seu menor valor desde pelo menos 2009 devido à preocupação de que a produção de baixo custo da Rio Tinto Group, da BHP Billiton Ltd. e da Vale SA esteja aumentando enquanto a demanda na China, o maior usuário do mundo, está diminuindo. A depressão foi exacerbada por uma queda das ações na China, que levou os investidores a rejeitarem ativos arriscados, entre eles a maioria das commodities. Os mercados acionários da China subiram nesta quinta-feira e as ações das empresas produtoras cresceram.

“É só olhar para a Austrália. Novos projetos estão surgindo, veja tudo o que há lá”, disse Xie em entrevista por telefone. “A BHP, a Rio e a Vale não vão diminuir a produção porque não faz sentido. Por que você iria querer diminuir a produção e deixar que os produtores de alto custo se integrassem à cadeia?”.

A perspectiva de Xie

O minério de ferro com 62 por cento de conteúdo enviado a Qingdao alcançou US$ 44,59 por tonelada seca na quarta-feira, segundo a Metal Bulletin Ltd. Trata-se do preço mais baixo já registrado desde maio de 2009, mostram os dados. Até os últimos anos, a matéria-prima era negociada predominantemente mediante preços anuais de referência e, na comparação, o preço seria o mais baixo desde 2005, mostram dados compilados pela Clarkson Plc. O preço deu seu maior salto desde pelo menos 2009 nesta quinta-feira, para US$ 48,99.

Em fevereiro, Xie disse que o minério de ferro cairá para menos de US$ 40 por tonelada, mencionando a expansão da oferta de baixo custo e a contração da demanda por aço, e manteve essa perspectiva na quarta-feira. Xie, que também trabalhou no Banco Mundial, acompanha a China há mais de duas décadas.

Sua perspectiva de crescimento da oferta se baseia em projeções da Austrália. Os embarques da principal exportadora se expandirão 10 por cento no ano que vem, mais do que o dobro do ritmo previsto para 2015, disse o governo em 30 de junho, mencionando a produção da nova mina da bilionária Gina Rinehart e o crescimento de várias produtoras, entre elas a Rio.

“No longo prazo precisamos apenas de produtores grandes com custos baixos”, disse Xie. “Todos os produtores marginais que apareceram por causa dos preços altos deverão desaparecer”. (Bloomberg)

Fonte: Infomoney
Seção: Mineração
Publicação: 10/07/2015

Compartilhe nas redes sociais