Minério de ferro pode chegar aos US$ 30 com queda da BHP e Rio

4 de dezembro de 2015

O minério de ferro pode estar perto de cair para US$ 30 a tonelada quando os maiores produtores aumentam a oferta e o início do inverno na China diminui a demanda que já estava agonizando pela desaceleração do crescimento dos maiores compradores do mundo. As ações das mineradoras recuaram.

“A perspectiva continua difícil para o minério de ferro pois a demanda da construção e da manufatura é incerta”, disse Jessica Fung, analista da BMO Capital Markets em Toronto. “O estoque de aço continua crescendo”.

O minério de ferro com 62 por cento de conteúdo vendido para Qingdao caiu 2,6 por cento, chegando a US$ 41,13 a tonelada seca na quarta-feira, um recorde de baixa nos preços diários compilados pelo Metal Bulletin Ltd. desde 2009. O preço caiu todos os dias da semana, perdendo 7,6 por cento. As matérias-primas chegaram a ser vendidas por apenas US$ 10,51 em 1988, quando contratos de referência anual foram negociados entre as maiores mineradoras e produtoras de aço, de acordo com dados do Fundo Monetário Internacional.

A commodity afundou esse ano quando a desaceleração na China prejudicou a demanda enquanto os maiores fornecedores, incluindo a BHP Billiton Ltd. e a Rio Tinto Group, na Austrália, e a Vale SA do Brasil impulsionaram a produção de baixo custo. Espera-se mais abastecimento por via marítima começando na próxima semana, quando a mina Roy Hill da bilionária Gina Rinehart, começa a exportar de Port Hedland da Austrália. A indústria do aço da China encolheu no mês passado, mostraram dados oficiais.

“Pressão para baixo”

“A expectativa do início da Roy Hill foi discutida no mercado por alguns anos, mas ainda não impactou no mercado físico”, disse Fung por e-mail. “Acho que vamos ver mais pressão descendente sobre os preços à vista quando começarem as exportações”.

Roy Hill Holdings Pty disse que quase 90 por cento da produção do projeto, que tem o objetivo de chegar a 55 milhões de toneladas, possui contratos de longo prazo, o que significa que não vão pressionar diretamente os preços. A empresa disse na quinta-feira que o primeiro envio será adiado para a próxima semana, citando restrições operacionais e de segurança exigidas pelas autoridades portuárias.

“Roy Hill está realmente a ponto de embarcar sua primeira carga”, disse Melinda Moore, estrategista de commodities do ICBC Standard Bank Plc, em Londres. “As recentes condições físicas de baixa do mercado não estão ligadas à entrada dessas toneladas. O mercado físico não será afetado até as toneladas realmente começarem a aparecer”.

Queda sazonal

A demanda está caindo por declínios estruturais, bem como sazonais, enquanto a oferta ainda está em expansão, segundo Moore. Recentemente, os baixos preços estão sendo causados pela típica queda de estoque sazonal de inverno devido a condições ruins na construção, ela afirmou por e-mail.

Os futuros mais-ativos na Bolsa de Cingapura foram negociados abaixo de US$ 40 pela primeira vez esta semana, e as perdas naquele contrato podem ser um presságio de uma queda no preço à vista de referência para o minério em Qingdao. O contrato da SGX AsiaClear para janeiro era de US$ 37,29 a tonelada na quinta-feira.

Andy Xie, um economista independente, e Michael Coleman da RCMA Asset Management Pte previram uma queda abaixo de US$ 40 antes do final do ano por causa da manutenção da oferta e uma demanda chinesa vacilante.

A indústria de aço da China PMI caiu para 37 em novembro de 42,2 no mês anterior, de acordo com dados oficiais na terça-feira. Leituras abaixo de 50 indicam contração. O país produz mais da metade do aço do mundo.

A BHP caiu 3 por cento fechando em 18,19 dólares australianos em Sydney com perdas anuais de 34 por cento, enquanto a Rio caiu 2,1 por cento e a Fortescue Metals Group Ltd. perdeu 2,3 por cento. Os três juntos são as maiores empresas de transporte da Austrália.

A estimativa é que 85 por cento das usinas na China estão tendo perdas depois da queda dos preços do aço, o Macquarie Group Ltd. disse em um relatório recebido na quinta-feira que resumiu as descobertas de uma visita recente. “Tudo que ouvimos nessa viagem pela China aponta para uma demanda fraca”, escreveu o analista.

Fonte: Bloomberg News
Seção: Siderurgia
Publicação: 04/12/2015

Compartilhe nas redes sociais