Reajustes não são bem recebidos por distribuidoras

19 de julho de 2012

 

Os reajustes anunciados pelas usinas nacionais no início desde mês, que variam de 4 a 8,5%, não foram bem recebidos pelas distribuidoras de aço.

Segundo a opinião de distribuidores o período para o reajuste não foi adequado, uma vez que a demanda de produtos siderúrgicos continua enfraquecida. “É lamentável o aço sofrer reajuste neste momento. Nós distribuidores somos obrigados a repassar o reajuste de acordo com o percentual aplicado pelas usinas, mas estamos negociando com elas (usinas) as novas compras, pois os clientes não estão absorvendo este aumento”, desabafa Ricardo Santana, diretor comercial da AçoCorte Ferro e Aço.

De acordo com Santana, há cerca de quatro meses a AçoCorte enfrenta forte retração nos contratos de venda, chegando a estar 40% abaixo da meta da empresa, fator que tem causado mudanças internas com o objetivo de reduzir custos.

O diretor da AçoCorte também destacou a preocupação com a crise global por acreditar que ela poderá se agravar nos próximos meses. “Já temos enfrentado aumento em torno de 20% na inadimplência e diversas indústrias estão efetuando cortes e paralisando produções”, explanou sobre os setores econômico e industrial.

Planejados para este momento em que o preço do dólar tem se mantido acima de R$ 2,00 desde o mês de maio, os reajustes foram aplicados na tentativa de aumentar as margens de lucros das usinas, enfraquecidas pela alta nos custos das matérias-primas.

Fonte: InfoMet
Seção: Metalurgia & Distribuição
Publicação: 19/07/2012

Compartilhe nas redes sociais