Vale vê minério de ferro acima de US$70 na maior parte do ano

11 de fevereiro de 2015

Stephen Eisenhammer e Marta Nogueira

A Vale, maior produtora de minério de ferro do mundo, avalia que os preços do seu principal produto devem ter alguma recuperação, ficando acima de 70 dólares por tonelada no segundo trimestre e na maior parte do ano, com a saída de mais produtores de alto custo do mercado.

“Uma mudança de patamar muito forte não esperamos, mas pode estar na casa iniciada por sete a partir do segundo trimestre”, afirmou nesta terça-feira o presidente-executivo da Vale, Murilo Ferreira, em entrevista à Reuters.

“Eu acho que a tendência no ano, na maior parte, é ficar na casa dos sete.”

O preço do minério na China, maior importador global da matéria-prima, está oscilando perto do menor nível desde 2009, com um aumento da oferta de grandes mineradoras e um crescimento menos intenso da demanda no gigante asiático. Somente em 2014 os preços caíram pela metade.

Nesta terça-feira, o preço à vista ficou em 62,20 dólares por tonelada, segundo o Steel Index.

O cenário de preços em patamares menores em relação a anos anteriores não levará a empresa a realizar baixas contábeis, de acordo com o executivo.

Ferreira destacou que a Vale, uma das produtoras de menores custos do mundo, atua em uma indústria de longo prazo e poderia ser precipitado qualquer medida neste sentido, sem que os preços tenham se estabilizado.

Metais básicos

Além disso, Ferreira descartou neste momento a realização de uma oferta pública inicial (IPO) de parte da divisão de metais básicos. A medida foi citada pela empresa como uma possibilidade no fim de dezembro, mas para o executivo os preços atuais não estão favoráveis para uma transação.

“Como não temos preço hoje que signifique uma condição que esteja sendo satisfeita, nós não estamos interessados nisso, seja para qualquer tipo de transação”, disse. “Não vamos vender na bacia das almas, esquece, descarte essa possibilidade.”

Ferreira também afirmou que a venda de toda a divisão nunca foi considerada.

Fonte: Reuters                Seção: Mineração                Publicação: 11/02/2015

Compartilhe nas redes sociais